• Japtur Turismo

O que levar na viagem ao exterior: dinheiro, cartão de crédito ou pré-pago?

Toda viagem ao exterior requer um planejamento mais refinado. Seja

um roteiro em família ou um dos nossos grupos exclusivos, o assunto

moeda estrangeira é recorrente. Afinal, qual a melhor alternativa para

se levar essas moedas lá para fora?

Qual seu perfil de turista?


Antes de apontar os prós e contras de cada opção,

vale a pena definir qual é o seu perfil de viajante.


Se você não gosta de surpresas e prefere ter uma boa estimativa do orçamento da viagem, o melhor é antecipar ao máximo as despesas, comprando tudo o que for possível antes da viagem.


Isso já é uma realidade nos nossos roteiros exclusivos, onde tudo que

realmente importa já está de fato inserido no roteiro. Para as viagens

individuais, vale comprar aqui no Brasil ingressos de parques,

museus, shows e eventos esportivos. Isso permite saber o valor da

despesa em reais e, ainda, parcelar as compras no cartão de crédito.


Para quem prefere viajar com menos amarras e gosta de definir os

passeios no próprio destino, de acordo com o clima no local ou o

humor da turma, é melhor deixar para comprar ingressos fora do

Brasil.


Dinheiro é mais barato, mas menos seguro

Dinheiro vivo é a opção mais econômica porque paga menos imposto. O IOF (Imposto sobre Operações financeiras) da compra de moeda estrangeira em espécie é de 1,1%, contra 6,38% no cartão. Para cada R$ 1.000 gastos, portanto, a economia é de R$ 52,80. O problema

dessa opção é a segurança. Foi furtado ou perdeu o dinheiro? Não há o que fazer.


Cartão pré-pago ajuda a controlar gastos


Além da segurança, as vantagens do pré-pago são o controle dos

gastos e a flexibilidade.


Como você usa apenas o valor que tiver carregado no cartão, vai ser

difícil estourar o limite. Mas se perceber que errou na conta e precisa

de mais dinheiro, dá para recarregar o cartão pela internet. Para

controlar as despesas, você pode optar por receber notificações


sempre que fizer um pagamento. Se precisar de dinheiro vivo, também

é possível usar o cartão para sacar dinheiro em caixas eletrônicos.

O lado negativo é o custo. Além do IOF mais alto, de 6,38%, o cartão

pré-pago cobra uma taxa se for feito saque. O valor varia de banco

para banco.


Mais seguro, cartão de crédito é menos previsível



O cartão de crédito é outra opção mais segura que dinheiro vivo, pois, em caso de perda ou roubo, você pode simplesmente bloqueá-lo. Dependendo do seu cartão, outra vantagem é participar de programas

de fidelidade. As despesas em dólar viram pontos, e podem render milhas para sua próxima viagem.


A principal desvantagem é não conseguir prever o valor dos gastos.

Em geral, as compras são convertidas para reais com base na

cotação do dia de fechamento da fatura, e não no dia da compra.

Cada administradora de cartão usa sua própria taxa de câmbio. Ou

seja, você ficará sujeito à oscilação do câmbio durante esse período,

que pode chegar a 30 dias.


Outro ponto negativo é o IOF de 6,38%, mais caro que o 1,1%

cobrado pelo dinheiro vivo.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Av Presidente Vargas, 449 / Jd. América - CEP: 14025-700 -Ribeirão Preto - SP - Tel: (16) 3911-1677 - E-mail: contato@japtur.com.br